Virtex
Chaves Bebidas
Drogaria Horizonte
Lojão do ciclista
Lustosa Tur
Mercadinho Frigoleme
Santos Auto Escola
Auto Escape J Wilson
Malu Pneus
Reajuste

Professores pedem aumento, mas governo promete só vale-refeição

Segundo o secretário da Administração, Merlong Solano, a Lei de Responsabilidade Fiscal impede que possa ser dado o reajuste.

09/07/2019 17h12
Por: Pablo Carvalho
Fonte: Cidade Verde
(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

O Governo do Estado busca acordo com os professores para evitar uma greve geral na educação pública. A categoria quer o reajuste de 4,17% no valor do piso. Porém, o Estado diz não ser possível pagar. Em negociação, o Estado ofereceu pagar o valor por meio do vale-refeição. A categoria protesta. 

Segundo o secretário da Administração, Merlong Solano, a Lei de Responsabilidade Fiscal impede que possa ser dado o reajuste. "Nós nos reunimos e propomos o pagamento do valor correspondente a 4,17% no vale-refeição e o envio de mensagem para a Assembleia reajustando os salários logo que o Estado sair da Lei de Responsabilidade Fiscal. Isso deve acontecer em agosto. Deve ocorrer uma nova negociação e iremos, então, enviar para a Assembleia", destacou.

As negociações emperram com relação ao vale-refeição. A lei proíbe que os inativos recebam esse benefício. Com isso, os aposentados ficariam sem o reajuste. "O vale-refeição não beneficia os inativos. A lei proíbe isso. É a realidade do Estado. Não temos condições de absorver o impacto desse reajuste de 4,17%. É a Lei de Responsabilidade Fiscal que proíbe. A partir de agosto podemos conceder esse aumento", destacou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias