Quinta, 28 de Janeiro de 2021 12:38
89 988029890
Geral Saúde

Primeiras doses da vacina contra Covid-19 chegam em 21 de janeiro no Piauí

De acordo com o governador, as doses que o Estado deve receber são das vacinas Coronavac e AstraZeneca, produzidas no Brasil pelos Instituto Butantan e pela Fiocruz, respectivamente.

22/12/2020 15h51
Por: Pablo Carvalho Fonte: Redação Oeiras em Foco
Primeiras doses da vacina contra Covid-19 chegam em 21 de janeiro no Piauí

As primeiras doses da vacinas contra a Covid-19 devem chegar ao Piauí ainda no mês de janeiro de 2021, anuciou o governador Wellington Dias (PT) nesta terça-feira (22). Inicialmente serão quase 200 mil e posteriormente outras doses totalizando 700 mil doses no mês de janeiro.

De acordo com o governador, as doses que o Estado deve receber são das vacinas Coronavac e AstraZeneca, produzidas no Brasil pelos Instituto Butantan e pela Fiocruz, respectivamente. O Brasil fez um acordo de transferência tecnológica com a farmacêutica, que está enviando a vacina para ser envasada na Fiocruz. Para a segunda fase, o Florentino afirmou que a AstraZeneca enviará o princípio ativo da vacina e a Fiocruz fará a produção.

A prioridade de imunização será dada aos profissionais de saúde, idosos e pessoas que possuem comorbidades. “Tivemos uma reunião por videoconferência com o ministério da Saúde no final da tarde da segunda (21) e já foi definido. O Piauí receberá as primeiras doses da vacina contra Covid-19 no dia 21 de janeiro. Serão 196.439 mil doses para a primeira fase a ser executada para os trabalhadores de saúde e pessoas acima de 75 anos”, afirma o secretário de Saúde, Florentino Neto

O consórcio Nordeste, presidida pelo Governador do Piauí, ainda tenta fechar acordos para aquisição de outras duas vacinas, a da Pfizer e a russa Sputinik.

O governo aguarda também um plano nacional de imunização, desenvolvido pelo Ministério da Saúde, que garanta a logística que permita que a imunização simultânea em todas as regiões do país, assim que as doses começarem a ser liberadas. "A lógica é que a gente tenha, ao mesmo tempo, uma operação centrada em Guarulhos, para que a gente tenha uma operação de distribuição na mesma semana, em todo o Brasil, como acontece com todas as vacinas", defendeu. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias