Auto Escape J Wilson
Mercadinho Frigoleme
Campanha imprensa 2
Lustosa Tur
Lojão do ciclista
Caso

'Não posso pagar por um crime que não é meu', diz oeirense Jader Damasceno

Jader explicou que foi difícil ter que falar sobre o dia do acidente durante o julgamento, que acontece no Fórum Cível e Criminal de Teresina.

05/03/2020 09h28Atualizado há 4 semanas
Por: Pablo Carvalho
Fonte: G1
(Foto:Reprodução)
(Foto:Reprodução)

O jornalista Jader Damasceno, sobrevivente do acidente que vitimou os irmãos Bruno Queiroz e Júnior Araújo, em junho de 2016, foi ouvido na manhã desta quarta-feira (4) durante o julgamento de Moaci Moura da Silva Júnior, acusado de provocar a morte dos membros do Coletivo Salve Rainha. Ao G1, ele contou que não se trata de um acidente, mas sim um crime de trânsito que deixou sequelas físicas e emocionais difíceis de superar.

Jader explicou que foi difícil ter que falar sobre o dia do acidente durante o julgamento, que acontece no Fórum Cível e Criminal de Teresina.

“É difícil ter que ficar batendo numa tecla que todo mundo já conhece e sabe. Mas nem todo mundo tem a dimensão de como é duro e difícil. Colocar o dedo na ferida acaba se tornando mais difícil ainda”, contou.

A vítima relatou os traumas físicos e psicológicos sofridos em decorrência do acidente. Jader sofreu traumatismo craniano, no tórax e pernas, afundamento do crânio e perda parcial da visão. “Minha dor ter vários aspectos. Tudo isso em decorrência desse crime de trânsito. Porque isso foi um crime. Eu não espero nada mais do que justiça. Não posso ficar pagando por um crime que não é meu e meus amigos também não. Chegou a hora dele pagar”, disse.

Veículo que levava os três rapazes ficou completamente detruído após a colisão — Foto: Moana Almeida/Arquivo Pessoal

Julgamento

O julgamento iniciou às 8h desta quarta-feira (4) no Fórum Cível e Criminal de Teresina. Durante a manhã foram ouvidas quatro testemunhas, a quinta faltou, mas a acusação já tem em mãos o depoimento dela. Em seguida, foi ouvida a primeira testemunha de defesa.

O juiz deu um intervalo de 30 minutos para o almoço e o julgamento retornou às 13h30, com o depoimento de Moaci Moura da Silva Júnior, acusado pelo acidente.

Acidente

Jader Damasceno e os irmãos Bruno Queiroz e Júnior Araújo estavam em um Fusca quando o Corolla colidiu na lateral do carro, por volta das 23h, do dia 26 de junho de 2016 no cruzamento da Avenida Miguel Rosa e com a Rua Jacob de Almendra, no Centro de Teresina.

Bruno e Júnior não resistiram aos ferimentos e morreram. Já o amigo, o jornalista Jader Damasceno, ficou gravemente ferido e, desde então, apresenta sequelas físicas e emocionais. Um exame clínico feito no Instituto Médico Legal (IML) constatou que o motorista estava embriagado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias